Fale conosco via MSN! Clique no botão ao lado!

Capoeira

A história

No período da colonização inicia-se o tráfico de escravos para a América, os negros eram aprisionados na África, trazidos e vendidos para o trabalho forçado em regime de completa escravidão.

Para tornar o negro escravo, os escravistas suprimiam sua cultura, sua alma e torturavam. Interessavam apenas pelo corpo, sua força de trabalho.

Esta situação desumana a que foi submetido o negro, não foi suficiente para suprimir sua condição de ser inteiro, de corpo e alma.

A Capoeira nasce neste período, os negros a criaram para utilizá-la como luta no momento preciso para sua defesa e para os instantes de folga para se divertirem, para relaxar do trabalho forçado, as torturas e a condição de escravo.

As perseguições iniciam-se, os senhores proibiam sua prática por vários motivos, nem sempre conscientes em suas mentes.

Dava ao capoeirista um sentido de nacionalidade; Individualidade, autoconfiança; Formava grupos coesos; Formava jogadores ágeis e perigosos; E, as vezes, no jogo, os escravos se machucavam, o que era economicamente indesejável.

Na década de 1930, se inicia um novo ciclo na história da Capoeira, nesta época a situação do país não era nada boa, estávamos em pleno regime de forças, e dentre as leis penais, existia uma que considerava os capoeiristas como delinquentes perigosos, a situação andava preta para os capoeiristas.

Manuel dos Reis Machado, Mestre Bimba, nesta época foi convidado pelo interventor federal na Bahia, Juracy Montenegro Magalhães, a ir ao Palácio do Governo. Mestre Bimba ficou assustado, achou que seria preso. Para sua surpresa, o governador queria que se apresentasse com seus alunos para mostrar "a nossa herança cultural" para amigos e autoridades no Palácio do Governo.

Em 09 de julho de 1937, Mestre Bimba consegue o registro de sua Academia, reconhecida pela Secretaria de Educação, Saúde e Assistência Pública, primeira academia reconhecida no país.

Inicia-se a ascenção sócio-cultural, a Capoeira volta ao cenário cultural, está presente na música, nas artes plásticas, na literatura, nos palcos.

A Capoeira nos dias de hoje, vem adquirindo maior número de adeptos de todas as raças e camadas sociais do Brasil e até de outros países. E é desses outros países que a Capoeira, devidamente ganha projeção mundial por ser uma arte em ritmos e movimentos que exprimem toda a criatividade de um povo que foi oprimido.

Com todo esse desenvolvimento, a sociedade passou a conhecer os verdadeiros valores e as contribuições que podem advir do conhecimento e prática da Capoeira.

Instrutores

Antonio Carlos Crivellente Cunha (Cacá)

Currículo:

Novembro de 1989 – iniciei na capoeira no clube Círculo Militar – SP com o Professor Chicão (aluno formado pelo Mestre Canhão – Formado pelo Mestre Bimba)

Maio de 1991 – Passei a treinar com o Contra – Mestre Carlos Araújo (aluno formado pelo Mestre Gládson – Policenter) no próprio clube Círculo Militar.

Março de 1996 – Iniciei meus treinamentos com o Mestre Aberrê (aluno formado pelo Mestre Mão Branca – Grupo Capoeira Gerais), com quem continuo até hoje.

Faço parte da Associação Cultural Aberrê Capoeira, antigo Grupo Capoeira Gerais, formado professor de capoeira em Maio de 2003, pelo Mestre Aberrê.

FORMAÇÃO ACADÊMICA

Superior: Curso de Direito na Universidade Paulista – UNIP (campus vergueiro) dez/98.

Superior: Cursando EDUCAÇÃO FÍSICA na Universidade Paulista - UNIP (campus Bacelar), oitavo semestre (quarto ano).

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL ATUAL
Academia Pamplona de Artes Marciais. Cargo: Professor de Capoeira. Período: Março/98 – atual.
Responsável pelos treinamentos e coordenação da modalidade na academia.
Colégio Dante Aligheri Cargo: Professor de capoeira Juvenil. Período: Fevereiro/04 – atual.
Aulas de capoeira, para turmas de crianças entre 10 e 16 anos de idade, como curso extra curricular.

Cordões

Nos tempos modernos, os capoeiras são graduados de acordo com os seus conhecimentos e com o tempo de prática na capoeira. Cada graduação é representada por uma cor na corda, que é amarrada na calça do capoeirista. Cada grupo designa um conjunto de cores que irá representar as graduações. Os indivíduos entram para as aulas de capoeira, em seguida, começam um treinamento. Nesse período inicial eles são chamados de "pagãos", ou seja, eles não foram ainda batizados.

O batizado de capoeira representa o momento em que os indivíduos recebem a sua primeira graduação pelo grupo. Nesse dia eles deixam de ser pagãos, pois durante esse evento é costume entre os grupos dar um apelido ao capoeirista. O apelido é uma tradição desde os tempos que a capoeira era considerada uma arte marginal e os capoeiristas eram obrigados a usar codinomes para não serem identificados, mediante isto, serem presos pela polícia. O dia do batizado é um dia de grande importância para os capoeiristas, posto que, nesse dia realiza-se uma festa em que os novos capoeiras são apresentados a comunidade capoeiristica, jogam com outras pessoas e desfrutam da oportunidade de até conhecerem os mestres mais antigos.

Competição

Em breve...

Horários

Clique aqui para o quadro de horários completo.

Horário Segunda Terça Quarta Quinta Sexta
14:00 às 15:00   Capoeira    Capoeira   
20:30 às 21:30 Capoeira    Capoeira     

Fotos